O antijogo no futebol

O futebol é um desporto que encanta multidões e atrai a atenção de muitas pessoas em qualquer parte do mundo. Este desporto tão admirado é a paixão de muitas claques, adeptos e simpatizantes e não deve sofrer de um aspeto tão negativo como o antijogo.

O que é o antijogo no futebol

O antijogo é quando uma equipa de futebol não quer mais jogar futebol. Seja porque está a ter um resultado favorável ou porque está a perder por uma margem muito grande de golos. Uma partida tem de ser resolvida nos 90 minutos de jogo (à exceção dos casos em que envolve prolongamento e marcação das grandes penalidades) e o jogo só acaba depois do árbitro apitar para o final do jogo. Muitas vezes, as equipas começam a praticar o antijogo para ganhar tempo ou para irritar os jogadores adversários e, consequentemente, provocar expulsões. Sendo que estas atitudes são muito desrespeitosas com a grande maioria de pessoas que está a assistir à partida de futebol.

Alguns exemplos práticos de antijogo

1. Os jogadores começam a provocar-se com ofensas verbais

É o exemplo mais comum de antijogo. Muitos jogadores utilizam este argumento para desestabilizar o lado emocional do jogador adversário para que ele perca a concentração e cometa faltas sem necessidade ou que se irrite e parta para a agressão física.

2. Os jogadores começam a “teatralizar”

Alguns jogadores gostam de fazer gracinhas para irritar o adversário. Começam a fazer “teatros” ou simulações para irritar o adversário, sem o objetivo de atacar a baliza adversária e fazer golos.

3. Os jogadores passam a cometer faltas violentas a toda a hora

Alguns jogadores perdem a cabeça de vez e passam a cometer faltas violentas a todo o momento apenas para irritar e descontar a raiva que estão sentindo por estar a perder o jogo.

4. O jogador não joga a bola para fora quando um adversário está lesionado

Muitas vezes um jogador lesionado está caído no campo e a equipa adversária não coloca a bola para fora para que o jogador lesionado consiga receber assistência médica. Esse gesto demonstra claramente a falta de “Fair Play”, tão defendido pela entidade máxima do futebol: a FIFA.

5. O guarda-redes demora muito tempo a repor a bola em jogo

Quando uma equipa está a ganhar, é natural que os guarda-redes demorem mais tempo a recolocarem a bola em jogo. Normalmente, fica a caminhar com a bola no pé até que um jogador da equipa adversária venha pressionar. Só assim é que ele pega a bola com as mãos e a repõe novamente em jogo.

6. O jogador demora a sair de campo em caso de substituição

Quando uma equipa está a ganhar, o jogador que é substituído tem tendência a demorar mais tempo a sair de campo, não só para receber mais aplausos dos seus adeptos, mas também para que o tempo de jogo se esgote mais rápido. Este comportamento é passível de cartão amarelo, pois demora muito para que a partida seja retomada e atrapalha o curso natural do jogo.

Enfim, existem muito outros exemplos de antijogo que são praticados no futebol, sendo que estas atitudes são prejudiciais e alarmantes. O futebol é um jogo belo, não precisa de ser estragado pelo antijogo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s